Em 2013, não ensaie a vida. Somos finitos.

somosfinitos

Eu poderia desejar, de coração, muita coisa boa pra você viver no novo ano que logo tá aí. Poderia colocar na minha lista de pedidos que você tenha muito amor, sucesso, dinheiro, paz, felicidade. Mas não vou. Não que eu não queira que você viva tudo de melhor em 2013 – e sempre. É que 2012, entre outras lições, me ensinou algo que há algum tempo eu já vinha desconfiando: a gente só precisa de saúde e atitude pra seguir em frente.

São esses elementos que nos impulsionam a ir atrás de todo o resto. Com saúde física e psicológica, aguentamos melhor o tranco das dificuldades, dos desafios. Porque eles sempre estão no caminho. Fazem parte de uma existência plena, de quem não quer ter um destino neutro ou decidido por terceiros. A atitude é o que te faz perseguir sonhos. É com ela que tomamos coragem de nos arriscar por aquilo que julgamos precioso. Que nos ajuda a solucionar os problemas (sem esperar um milagre acontecer). Que nos faz sentar, traçar planos, e depois levantar para concretizá-los.

Eu não te desejo amor, sucesso, dinheiro, paz, felicidade. Porque não adianta eu e você esperarmos por eles, não. Às vezes, eles não estarão lá… Não que a gente não mereça. Apenas, tem épocas que é mesmo a complexidade que toma conta, com os altos e baixos emocionais te colocando numa gangorra que parece sem fim. Mas uma hora melhora. E é só pra aprendermos alguma coisa, pode acreditar.

Focar tanto em amor, sucesso, dinheiro, paz, felicidade pode acabar causando um efeito contrário. Ficamos tão preocupados em conseguir isso tudo que esquecemos de realmente viver. Em meio às idealizações que nos perseguem, acabamos só ensaiando a vida. Ficamos sempre no “quase”. Esperando a tal hora certa. Mas deixa eu te contar… Só temos duas horas certas: a de nascimento e a de morte. A primeira você já sabe. Eu também. A segunda ninguém sabe. A única coisa que devemos saber, no último caso, é que somos finitos. De uma hora pra outra, não estaremos mais aqui. Não estarei escrevendo pra você. Você não estará lendo o que escrevo. Não importa a idade, desaparecemos.

E, pra quem tem data marcada pra partir, acredito que perdemos tempo demais remoendo o que não deu certo. Pensando muito no que gostaria de ter materialmente sem enxergar o que de bom nos cerca. Com raiva. Com medo. Com inveja. Com ciúmes. Cheios de lamentações e de impaciência. Cuidando da vida alheia. Pode ter certeza que tem gente se divertindo mais do que você se esses sentimentos têm tomado conta dos seus dias.

Só te permito sentir tristeza. Porque ela é inevitável se você é alguém normal. E ela, sim, te transforma, te faz parar pra refletir. Numa sociedade em que todo mundo agora tem obrigação de ser feliz, mostrar que estamos tristes é quase um ato de rebeldia. Mas a tristeza, é bom que se diga, é saudável. Claro, fazer dela sempre uma muleta, uma desculpa para se acomodar, não é legal. Existe também a tristeza que se aprofunda e precisa de cuidados médicos, como a depressão. Fora essas situações, ter aquela dorzinha no peito de vez em quando mostra sua sensibilidade… Mas olha, vai ficar tudo bem… Vai sim…

E se eu ainda não te convenci, vamos lá. Quer amor? Pare de procurar o par perfeito. Vai lá e se declara pra pessoa que cada vez que passa faz seu coração sair pela boca. Se tomar um fora, lembra da minha teoria da tristeza que acabei de contar. E não desista. Quer sucesso? Se esforce, foque um objetivo, se prepare bem e lembre que reconhecimento sólido é reflexo de trabalho bem feito. Ah, você quer dinheiro? Aprenda, de uma vez por todas, a poupar. Aprenda, de uma vez por todas, que torrar dinheiro em shopping não é o programa mais legal do mundo. Aprenda de uma vez por todas, a não consumir por impulso ou só para manter status. Quer paz? Comece dando “bom dia” para as pessoas que te cercam, seja gentil, paciente, respeite diferenças.

E eis a felicidade… É sempre nela que você insiste. Na verdade, você quer todo o resto sempre pra chegar nela. Quer ser feliz? Então, voltamos lá no começo. Cuide da sua saúde. Vá atrás dos seus sonhos. Pra ser feliz agora, basta lembrar que nunca sabemos o dia de amanhã. Não ensaie a vida. E feliz 2013!

Crédito da imagem: Cultura Inquieta

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s