Fim do sabático – que permanece como estado de espírito

newtimes

Lá se vão oito meses… Meses em que resolvi mudar minha vida por completo. O destino, é verdade, deu um empurranzão. Mas eu poderia ter me desesperado diante da tristeza de ver acabar um lugar e de deixar de trabalhar com o que eu tinha certeza que sabia fazer, que fiz nos últimos doze anos… Aquilo em que me aperfeiçoei. Tive, no entanto, a clareza e a serenidade de perceber que era hora de esperar. Esperar pra ver o que um cotidiano menos intenso e mais livre poderia me dar. Ganhei, então, minha saúde de volta, mais tempo com a família e os amigos, viagens, lugares novos, mergulho nos estudos, reavaliação de sentimentos, reencontros especiais, laços ainda mais atados.

Lá se vão oito meses… E, a partir de hoje, dou por encerrado meu período sabático. Depois de comemorar ontem com amigos tão queridos meu aniversário. O início do meu novo ano. Do meu novo ciclo. Agradecendo fortemente pelo ciclo que se fecha. Foi nele que me reaproximei do meu irmão. Reaprendemos a falar com mais amor, com menos impaciência um com o outro. Foi nele que conheci a Itália (sozinha) e o Chile (com minha mãe). Também voltei a Espanha. Viajei quilômetros e mais quilômetros para abraçar amigos que foram viver longe. Voltei a fazer yoga. Perdi quatro quilos que apareceram no começo de tudo.

Aprendi a respirar com calma. Aprendi a comer devagar. Me apaixonei ainda mais pela tarefa de ser uma mestranda. Vi meu sobrinho crescendo – e agora terá até aulas de filosofia!! Comi muito, como sempre – e isso me deixou feliz! Mas é verdade que me alimento de um jeito mais saudável. Lutei contra minha insônia, e ainda não a venci. Talvez, ela seja mesmo parte de mim, da minha criatividade. Tive revisitas ao meu passado. Amigos voltaram depois de anos e anos. E parece ser justamente desse passado que vem a lição de aprender a lidar novamente com alguns sentimentos… Ainda não consigo ser exatamente diplomática. Ouço muito mais música. Danço em casa a hora que me dá vontade. Assumi ser escritora – ainda sem livros, mas tudo a seu tempo.

Lá se vão oito meses… E no primeiro dia do meu sabático, quando decidi que eu precisava dar um tempo da vida vivida até ali, com a cara enfiada no travesseiro, chorei muito ao ouvir a música “Hero”, da banda Nickelback. Não foi uma escolha consciente. Alguém postou no Face e meio automaticamente cliquei para ouvir. Uma parte da letra diz: “And they say that a hero could save us/ I’m not gonna stand here and wait/ I’ll hold on to the wings of the eagles/ Watch as we all fly away”. Algo como “E eles dizem que um herói poderá nos salvar/ Não vou ficar aqui esperando/ Me agarrarei às asas da águia/ Vendo enquanto voamos para longe.”

Minha opção… Mais ainda ao descobrir que meu irmão precisaria passar por um tratamento de saúde. Resolvi não esperar heróis, soluções. Me “agarrei” a tudo aquilo que pode me levar pra longe do que eu não queria mais e do que poderia ser melhor pra mim e meus queridos. Me dei meu sabático. Por mim. Pelos meus. Ouvi a música novamente ontem. E muitas outras vezes nos últimos meses.

Lá se vão oito meses… Outro dia uma amiga perguntou: “E então? Encontrou as respostas que você queria?” Eu não tinha parado pra pensar nisso ainda… Sim, encontrei muitas respostas. Mas me fiz novas perguntas. E nem sempre as respostas chegam… Mas acredito que ruim seria deixar de questionar. Isso, eu aperfeiçoei. Certeza. Junto com a clarividência de que um período sabático, mesmo quando chega ao fim, pode permanecer no meu cotidiano, no meu estado de espírito. A sensação que um sabático dá, eu entendi, tem mais a ver com uma mudança interna para todos os outros dias que se seguirão daqui em diante. Dar valor maior ao que tem o valor maior. Não esperar pra ir atrás do que pode me fazer feliz. Aprender a viver com menos pra escolher melhor o que realmente fala alto no meu coração.

Lá se vão oito meses… Tô pronta. E em paz com quem eu me transformei.

******************************

Crédito da imagem: Gilberto Amendola – essa foi a primeira foto que usei aqui no blog, no primeiro post. Simbolizava uma fase que se iniciava. Simboliza agora outra fase que se fecha e mais uma que começa.

A letra de “Hero”, Nickelback: http://www.youtube.com/watch?v=q1CPrRSyyv0

Anúncios

2 respostas em “Fim do sabático – que permanece como estado de espírito

  1. Oi Suzane,
    Eu queria te dar os parabéns pela iniciativa de um período sabático. Essa é uma das coisas que eu quero fazer na minha vida. Acho fantástico e incrível se dar ao direito de um “tempo”, principalmente com essa vida maluca e corrida que a gente vive aqui em sampa. É quase como falar: “pára mundo porque eu quero descer”. Ás vezes a gente se envolve numa rotina e nem sempre sabe muito bem porque está fazendo aquilo.
    Acho também que você foi de muita coragem! Não deve ser fácil, deve bater uma certa insegurança, um medinho, questionamentos se fez a coisa certa ou não.
    Mas bom mesmo, deve ser encerrar o período com a sensação de que valeu a pena! E pelo visto seu período valeu muito a pena!
    Parabéns e que esse novo ciclo comece com muitas coisas boas!
    Beijos,

    • Oi, Adri! Obrigada pelos votos de bom novo ciclo! Já está sendo… 🙂
      Sim, algumas vezes bateu receio e a pergunta “será?”… Mas parar pra repensar a vida, pela minha experiência e pela de outras pessoas que conheço, é uma das melhores decisões que a gente pode tomar… Espero que seu sabático chegue… Bom dia e super beijo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s