Trate bem a quem te quer bem

tratarbem

Não. Você não tem licença pra machucar. Não importa se o seu dia foi difícil, se riscaram seu carro, se você discutiu com alguém, se a comida no restaurante da firma estava péssima. Nem se a porta giratória do banco não desemperrou até você tirar tudo o que tinha dos bolsos. Nem se você levou uma fechada no trânsito. Se pegou muito trânsito. Não interessa se suas contas entraram no vermelho, se você está gripado, se seus planos deverão ser refeitos. Seus traumas de vida também não justificam ataques gratuitos às pessoas. Menos ainda àquelas que te querem bem.

Todos nós temos momentos complicados. Qualquer ser humano normal enfrenta oscilações de humor. Mas rompantes de grosseria e mudanças drásticas de atitudes impedem os demais de saberem como agir, como agradar, como chegar perto, como compreender sentimentos. É emocionalmente desgastante lidar com quem sempre acha um jeito de se sentir ofendido. E que não dá a mínima para o quanto ofende. Que não percebe que muitas das reações das quais é alvo estão diretamente ligadas às ações que antes direcionou à quem reagiu.

O mais triste é que, quase sempre, a fantasia de se achar no direito de humilhar é voltada justamente contra as pessoas que mais querem o bem e a felicidade do indivíduo. São familiares, amigos, parceiros dispostos a suportar situações desagradáveis porque, por amor e carinho, focam no que a pessoa tem de melhor. Porque todo mundo tem qualidades e um lado bom – mas não adianta transformá-lo, de repente, de novo, mais uma vez, no que há de mais obscuro.

Tenho um amigo que durante anos sofreu uma série de humilhações do pai. Nada do que ele fazia era suficientemente bom. O pai sempre o comparava com seus amigos – destacando, claro, aquilo que julgava fraqueza diante dos outros. Ele também se achava no direito de agredir verbalmente o filho. Era recorrente lembrar quanto de dinheiro já havia gasto desde que o rapaz nascera, quão estorvo ele era. Esse pai nunca se desculpou com meu amigo. Com presentes (roupas, livros, viagens, eletrônicos) é que uma espécie de “desculpas” meio que aparecia. O presente era entregue ao filho com um sorriso no rosto, como se nada tivesse acontecido.

Por muito tempo, meu amigo acreditou que esse era o jeito do pai amá-lo. Não aprendera de outra forma, coitado… Mas ele foi crescendo. Se tornou um profissional de sucesso e um cara querido pelos amigos. Chegou a ajudar financeiramente a família. O pai, porém, continuava ressaltando, quando desejasse, o quanto ele era incapaz. Voltava, então, a presentear o filho. Meu amigo cansou. Ele restringiu o convívio com o pai a algumas festas obrigatórias de família. Diz que assim, pelo menos, vive mais em paz. O pai, com frequência, telefona em tom carinhoso reclamando uma visita do rapaz. Mas a relação deles nunca mais será a mesma.

Uma hora colocar panos quentes na ferida aberta deixa de funcionar.

Trate bem a quem te quer bem, antes que seja tarde. Tratar bem de verdade, é bom lembrar, nada tem a ver com coisas materiais. Mas com gestos, tantas vezes simples. É um carinho na mão durante o café da manhã – preparado com o que o outro mais gosta! Uma mensagem de boa sorte no primeiro dia no emprego novo. Aquele beijo inesperado. Pegar pela mão pra caminhar na praia. Cuidar de todos os detalhes quando o outro está doente. É respeitar. É não constranger. É conversar pra compreender. É, principalmente, dar valor e preservar. É olhar com honestidade além de suas próprias limitações e não permitir que elas levem pra longe de você relações que são preciosidades.

Crédito da imagem: Casal Sem Vergonha

Anúncios

2 respostas em “Trate bem a quem te quer bem

  1. Que texto lindo, Suzane! É triste saber que existem pessoas assim, né? Magoar gratuitamente os outros, principalmente quem mais nos ama, é muito triste. E passar a vida assim, levar isso anos a fio, não procurar melhorar, não reconhecer que está magoando, é muito ruim. Só faz com que as pessoas se afastem, mesmo aquelas que mais amam uma hora acabam ficando cansadas…Acontece como todo mundo se descontrolar de vez em quando, mas isso não pode ser frequente e devemos reconhecer que erramos, pedir perdão a quem magoamos sem querer. Acho que nada justifica uma humilhação, ninguém tem culpa se o dia foi ruim, não se deve descontar a raiva do mundo contra ninguém e se isso acontecer só resta se desculpar.
    O mundo precisa de mais gentileza! E principalmente, quem está do nosso lado merece ser tratado com carinho, com afeto!
    Um beijo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s