O quadril de Alicia. Meu sutiã 44

alicia by paulo filho

Conheço poucas músicas da cantora americana Alicia Keys. Mas muita gente dizia que o show dela era bem bacana. Resolvi assistir a apresentação da artista no Rock in Rio pela tevê, na noite de domingo. Acho o tipo de show pra um lugar mais intimista, que perde um pouco no palco de um festival. Impressão pessoal à parte, inegável que Alicia esbanjava talento, simpatia, charme e beleza. Tomei um susto quando abri meu Facebook ontem de manhã e encontrei uns oito comentários de mulheres dizendo que a cantora estava gorda demais, que a roupa não a favorecia em nada. Teve uma que descreveu a moça como “ridícula pra usar legging”.

Achei o fim. E acabei escrevendo o seguinte no meu Face: “Eu estava com o note já desligado enquanto assistia ao show de Alicia Keys no Rock in Rio ontem a noite. Eis que, passeando só um pouco agora pela minha timeline, me assustei com o tanto de mulher despeitada dizendo que a cantora (aliás, voz belíssima) é gorda. Gente, presta atenção, Alicia tem corpo de mulher de verdade! E seria tão mais saudável e inteligente pra humanidade compreender isso… Por mais gente real e linda do jeito que é nesse mundo! Sem padrões falsos e doentios de beleza!”

Cometi um pequeno erro na minha observação acima. Quando escrevi “corpo de mulher de verdade”, pensei em “mulherão”. Porque é óbvio que quem é naturalmente magra também é de verdade. Só acreditei que ao escrever “Por mais gente real e linda do jeito que é nesse mundo! Sem padrões falsos e doentios de beleza!” a ideia estivesse bem clara. De que não importa peso, altura, se o cabelo é liso ou cacheado, e por aí vai. O belo é cheio de variações. Pra bom entendedor…

Mas nenhuma das críticas de Alicia era naturalmente magra. Pelo contrário. É gente que força a barra (e coloca a saúde em risco) em dietas malucas e exercícios extenuantes pra se encaixar num padrão de beleza bem discutível. É gente que precisa de ajuda urgente pra entender que pode ser querida sem ser “perfeita”. Sem perseguir uma imagem no espelho igual a da capa da revista. Vocês ainda não sabem o que é Photoshop?

Desconfio quando alguém se julga no direito de criticar a aparência do outro, seja pelo que for. Sempre parto do princípio de que se você perde tempo medindo o que as pessoas vestem, por exemplo, é um desocupado. Já o sujeito que se acha melhor porque está em forma e aponta o dedo na cara de quem está acima do peso esquece que nem sempre magreza é sinônimo de saúde. Nem curva arredondada é sinal de desleixo ou doença. Claro que a gente deve se cuidar pra viver bem. Mas que seja com equilíbrio. Não obsessão.

Tenho 1,63 metros de altura e 59 quilos. Meu índice de massa corporal (IMC) é normal. Não tô nem perto da margem de sobrepeso. Sou considerada gorda por muita noiada por aí. Nunca fui magérrima. O ponteiro da balança subiu sete quilos desde que parei o balé, há 14 anos. Desde então, só não me exercitei por breves períodos. Passei, porém, dos 30 anos. E é bem mais difícil emagrecer. A história do metabolismo desacelerar é verdade! Ao invés de lamentar um corpo diferente do passado, resolvi tirar proveito e superar trauma de adolescência.

Fui a última da minha turma na escola a ver os seios aparecerem. E quando cresceram nem foi grande coisa – pra meu completo desespero. Essa semana comprei lingerie e estranhei quando o sutiã 42 não fechava. Desce o 44 do estoque da loja. É. Teve que ser um número maior mesmo e… nunca tive um colo tão bonito! Nem nos meus sonhos adolescentes!

Ando feliz com a nova silhueta. Não porque acho que beleza feminina precisa de um sutiã 44. Mas porque pra ser “mulher de verdade” importa muito pouco (ou nada) o que os outros vão achar. Importa se você se acha linda do jeito que é. Se valoriza o que tem de melhor. E todo mundo tem. Sem nunca esquecer que nenhuma beleza se sustenta sem atitude e simpatia – do tipo que Alicia Keys tem de sobra.

Crédito da imagem: Paulo Filho

Anúncios

4 respostas em “O quadril de Alicia. Meu sutiã 44

  1. Oi Suzane!
    Já te achei no face 😉
    Sabe que padrões, de maneira geral, me irritam profundamente! Gente, a diversidade é uma coisa incrível! Eu sou baixinha, 1,55m bem medidos!, peso 48kg, sou cheia de curvas e nunca terei uma barriga tanquinho! Não adianta, é minha natureza, eu sou assim! Claro que me cuido, dou atenção à alimentação, pratico exercícios, mas além de gostar, é uma questão de saúde e não de me encaixar no padrão “barriga negativa”. E gente, me desculpe, mas criticar o quadril da Alicia Keys é falta do que fazer, acho até que é um pouquinho de inveja! Sim, inveja sim! Ela é simpática, tem uma voz super bonita e faz sucesso! Então, vamos parar de procurar “defeitos” onde não existe!
    Concordo que devemos ser felizes como somos! É super sexy a pessoa que é confiante, que se gosta, que valoriza seus pontos positivos!
    Por um mundo com menos padrões e com mais gente feliz 🙂

    Beijos e boa semana!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s