Gesto

Uma bonita semana pra todos nós, com lindos gestos que falam mais do que palavras… ❤ Bom restinho de domingo, pessoal! 10557334_793263674095517_4848029564267201425_n

Anúncios

Desacelera. Aproveite o encantamento

1794706_722945884444772_6508700905432417457_n

“Respire fundo e solte devagar, querida… Temos que desfazer esses nós nas suas costas… É essa tensão toda de São Paulo…”. Rosalina, a massagista, estava certa. Mal sabe ela que eu já batia um pezinho impaciente pelo atraso de cinco minutos do meu horário. Coisa de gente acelerada. Uma vergonha. Principalmente quando se está num spa paradisíaco da Bahia e não há mais horário para cumprir naquele dia.

Eu viajava a trabalho e aproveitei a fama de excelência dos tratamentos do resort para cair nas mãos das terapeutas. Recuperar um pouquinho o equilíbrio físico e mental. Semanas depois, outra viagem a trabalho. Pra minha alegria, fico de novo em um hotel com spa nas Serras Gaúchas. Dessa vez, sou eu a atrasada cinco minutos porque respondia e-mails urgentes. Desço correndo as escadas, esbaforida, pedindo desculpas a Yone, a massagista da vez. Calma, ela sorriu e disse: “Sem estresse”.

Lembram daquele meu sabático de sete meses? Eu tinha melhorando tanto essa mania de pressa… Mas Rosalina e Yone ajudaram a me policiar. Pra desacelerar. E uma das primeiras coisas que logo lembrei do período sabático foi o estar presente no momento, apreciar de fato a paisagem que se tem à frente, se jogar no encantamento que a vida te oferece agora. Deixar pra lá, por alguns instantes, tecnologias… quem sabe convenções… Lembrar que para o hoje ainda não existe amanhã. Desacelere… o ritmo do dia e a batida pilhada do coração… que tudo acontece como deve ser.

Crédito da imagem: Creative Commons

Votar

10640985_1020226044659124_302003754921470987_n

Eu vou votar contra. Contra o que, quem e qual cargo eu não conto aqui (que realmente não tô na vibe de bater boca via redes sociais). Não quis entrar dessa vez em discussões acaloradas porque não acredito ser exatamente útil para os rumos do país bradar “fora fulano” e “fora beltrano” em timeline quando no fim do stand up debate comedy todos eles dão tapinha nas costas uns dos outros e, independemente de quem ganhar, vão formar alianças e fechar acordos com base em conveniências para todos os lados.

Debate na TV é um grande teatro.

Gritar “fora” não resolve nada. Gritar “mostra como afinal você vai manter o que vai bem e melhorar o que vai mal” ninguém gritou. Os últimos meses foram mais de Fla-Flu, Corinthians e Palmeiras, do que realmente apresentação de propostas válidas e possíveis. Na real, como sempre.

De qualquer forma, não rechaço completamente nenhum dos três principais candidatos à presidência. Ao mesmo tempo, os três me desagradam profundamente em diferentes questões. E principalmente, nenhum deles se posicionou de fato e com transparência quando um sujeito sem noção e que por uma dessas aberrações da vida também concorre ao cargo mais importante do país (longe de ganhar, ainda bem) não pensou duas vezes antes de incitar o ódio. Isso é uma vergonha completa.

No entanto…

Fico feliz de perceber que pessoas de partidos e ideologias diversas se mostraram indignadas com aquele senhor (que antes tivesse continuado só a defender o aerotrem) pregando o preconceito e o transformaram no exemplo do atraso de pensamento, de postura e comportamento.

E é bom saber que no domingo, apesar de tudo, temos a chance de escolher quem nos representa. Nossa briga é para melhorar o Brasil em todos os sentidos. Não para que não nos mantenham calados, proibidos de opinar. Pior do que ler tanta besteira (que vem de direita, de esquerda, de capitalista, de socialista…) sobre política nas redes sociais, seria não poder expressar opiniões. Aturar bobagem, no fim, não é nada diante de uma ditadura, por exemplo. Melhor que se fale de política, inclusive das que discordamos, do que ser obrigado ao silêncio.

P.S.1: Tenho no meu círculo de amigos próximos gente que vota na Dilma, no Aécio, na Marina, na Luciana Genro e no Eduardo Jorge. Me orgulho. Não cortamos relações uns com os outros porque defendemos opções diversas. Soubemos ouvir e ser ouvidos. Encontramos sensatez e motivos em cada uma das nossas diferentes visões. Sinal de que quanto mais nos interessarmos pelo tema (de verdade e não só na superfície), mais maturidade política e social alcançaremos.

P.S.2: Escolha com muita atenção e consciência senador, deputado federal e deputado estadual. Leis e grandes definições políticas estão nas mãos desses caras, não de presidente.

P.S.3: Que não se confunda nunca discurso de ódio com liberdade de expressão.

Crédito da imagem: Agência Estado