2017, o ano do “nossa, quanta coisa, gente!”

Faltam pouco mais de 40 dias para o ano acabar e estamos por aqui já no preparo da listinha de balanço de 2017. Adoro. Adoro listas pra organizar tarefas, objetivos e pensamentos. Mas a das verdades que a gente aprendeu ou que foram reforçadas durante o ano é das minhas preferidas. Que lista, amigos! Essa, de 2017, pode ser definida como a lista do “nossa, quanta coisa, gente!”

Quanta coisa… Quanta coisa boa, reencontro bom, novos encontros bons, gente boa, situação boa, conhecimento bom. Conversas e trocas especiais. E quanta certeza de que tem gente que a gente tem mais é que despachar da vida, assim como situações. E se não der pra despachar, dar aquela limitada. Que aí a vida anda.

Quanto desafio, adaptação, escolha, escola. E que riqueza descobrir que a gente sabe fazer coisa que a gente nem sabia que sabia. Teve quantidade e qualidade. Teve coisa ruim? Claro, sempre tem. Mas… onde foi parar mesmo? Porque nossa, quanta coisa, gente! Quanta beleza em cada verdade que se reforça ou se descobre. Vamos a elas, as verdades. Devidamente compreendidas. Porque 2018 tá aí pra brilhar na purpurina!

Primeiro as ruins:

  • Quem mente uma vez mente duas, três, dez… Até mentir a cada suspiro que dá no dia. Tem quem minta por vergonha de algo que fez. Ou medo. E tem quem minta pelo prazer doentio de achar que nunca vai ser pego(a). Vai. Com preço alto.
  • Manipulador é um ser perigoso que te suga a alma fazendo você se sentir culpado(a) pelo que não tem culpa, se fazendo de coitado(a) e confuso(a) só pra dominar quem tá vulnerável e cujo único objetivo é satisfazer a egotrip.
  • Ah! Manipulador também mente, claro. É do jogo dele(a).
  • Ironias e alfinetadas ao longo do tempo desgastam qualquer relação.
  • Aliás, ironias e alfinetadas são características de quem não tá lá muito bem de autoestima e precisa machucar os outros, colocar pra baixo, pra se sentir fortinho(a). É um fraco(a). Só constrói castelo de cartas ou fica na aba dos outros.
  • A gente só pode ajudar quem quer ser ajudado. Então, foco em colocar energia em quem quer construir algo legal realmente.
  • Dinheiro é bom demais! Traz conforto, segurança, tranquilidade, realiza sonhos. Mas ter uma conta recheada e não saber se relacionar com alegria e afeto é continuar na miséria.
  • Muita pose, pouca entrega. Conhece gente assim? Que diz abalar as estruturas da sociedade, mas que com um pouco mais de conversa dá pra entender que é tudo superficial demais?
  • Vale também pra quem vive dizendo que não tem tempo, é muito ocupado. Quem é ocupado realmente trata de colocar o trabalho em dia sem choramingo pra se desocupar e criar mais coisas legais. Quem não é usa o excesso pra disfarçar a própria a falta de foco e desorganização.
  • Admiração não é idolatria e cegueira.
  • Decepção é a morte da admiração.
  • Quem não sabe ouvir que fique falando sozinho(a), né?

Agoras, as boas!!

  • Se você constrói algo com todo o coração atingirá outros corações!
  • Quanta gente linda pelo caminho pra gente conhecer, conversar e admirar.
  • Filas andam.
  • Tem espaço pra todo mundo! Dá pra apoiar, indicar e tomar um café com a concorrência porque tem coisa no mundo que tá melhor, sim! Quem não entender que a colaboração tá vencendo a competição vai se ver sozinho(a).
  • Aliás, redes de apoio, troca de experiências e histórias! Que negócio bonito!
  • Ter uma cachorrinha peralta em casa vai te fazer sorrir sinceramente várias vezes ao dia. É amor. Recomendo.
  • Vai ficar difícil. E você vai superar e rir de tudo depois. Fundo do poço tem mola.
  • Viver com menos, fazendo as escolhas certas, é viver com bem mais e melhor.
  • Cuidar da saúde. Mas nenhum corpinho fitness supera as alegrias e sentimentos que envolvem bolos decorados, balas de leite ninho, brigadeiros em caixinhas delicadas, cerveja artesanal, pasta de amendoim, pão de cacau com cranberry, cafés bem tirados, pasteis de nata…
  • Se não der certo, tenta outra saída, começa de novo. A palavra é flexibilidade. Apenas se prepare para errar o menos possível. E tudo bem errar, que é aprender.
  • Ter orgulho da nossa história ❤
  • Ter orgulho dos nossos pais ❤
  • Empatia ❤
  • Brainstorm ❤
  • Se tornar referência não pra ser especial. Se tornar referência pra ajudar as pessoas a traçarem caminhos especiais.
  • As pessoas que amam você sempre estarão lá.
  • Perdoar. Ser trouxa jamais 😉

***

Para comprar meu livro Tem Dia que Dói – mas não precisa doer todo dia e nem o dia todo, acesse a loja virtual: https://temdiaquedoi.lojaintegrada.com.br/

Anúncios

Das coisas que eu detesto na vida

bichinho bravo

Tem muita gente legal no mundo. Mas como tem gente chata, arrogante, com atitudes duvidosas também! Fora aqueles detalhes do cotidiano que irritam. Tipo, correr atrás do ônibus, sabe? E eu, que adoro fazer listas, preparei essa das coisas que eu detesto na vida. Depois vai ter uma das coisas que eu gosto! Por enquanto, vejam se concordam com a lista do que me tira do sério!!!

Gente que acha que sinceridade é grosseria
Gente que se acha engraçada contando piada machista/racista/preconceituosa
Gente que acha sua verdade absoluta
Gente intransigente
Gente ingrata
Gente que não tem um mínimo de sangue correndo forte pela veia e diz amém pra tudo
Gente que se acha a maior vítima do universo e que todo mundo tem sorte, menos ela
Gente que usa as dificuldades que já enfrentou pra ficar reclamando para o resto da vida
Gente que usa um passado de problemas como desculpa pra comportamentos hostis no presente
Gente que não faz o trabalho como deveria e atrapalha o trabalho dos outros
Gente que tira onda quando eu digo que gosto e acredito em astrologia
Gente sem palavra, fofoqueira e manipuladora
Gente consumista que gasta dinheiro com bobagem e depois fica de olho grande quando o outro compra um apê, faz uma viagem legal, etc.
Gente que fica de cara amarrada e faz picuinha por qualquer coisa
Gente que para pra pensar pra que lado vai no alto da escada rolante do metrô – com uma multidão vindo atrás
Gente que não para pra pedestre que tá atravessando na faixa

Dar aquela corridinha ridícula pra alcançar o ônibus
Caixa de supermercado com cara de impaciente segurando seu cartão com a nota fiscal, quase te expulsando dali, enquanto você ainda ajeita as compras
Chegar na aula depois de enfrentar um baita trânsito e descobrir que o professor não vai porque tá gripado
Descobrir que meu batom preferido vai sair do mercado
Esfriar no meio da madrugada e lembrar que o edredon tá lá no alto do armário, no lugar mais difícil de alcançar
Ficar sem café de manhã
Ficar sem café após o almoço
Jejum de 12 horas pra exame de sangue
Dermatologistas que insistem que a única salvação depois dos 30 são procedimentos tipo botox
Comida fria
Pouca comida
Sentir fome e não ter nada pra tapear o estômago
Dar aquela topada com o dedão no pé da cama (eu sempre faço isso)
Dar aquela topada com o dedinho no sofá (eu sempre faço isso)
Dar com a cabeça no armário da cozinha (eu faço isso dia sim, dia não)
Ter que explicar pela milhonésima vez para meus amigos tecnológicos que não me sinto uma pária da sociedade por não ter um smartphone de última geração
Porteiro interfonando errado pra meu apê, principalmente quando é antes das 10h da manhã
Minha corriqueira incapacidade de ativar o cérebro antes de ativar a língua quando tô brava
Gastar dinheiro com remédio
O mau humor da atendente da biblioteca onde retiro livros
Meu joelho ruim
Meu sono perturbado
Porta giratório de banco e seu detector de metais que só detecta moeda, guarda-chuva e afins (se eu tivesse armada duvido que me paravam, juro!)
Errar a senha e bloquear o cartão
Sapato que machuca o pé
Tempo seco e poluído
Internet e TV a cabo fora do ar
O preço absurdo que se paga por internet e TV a cabo no Brasil e o serviço ruim que é oferecido
Começar aquela tempestade quando tô no meio da rua sem guarda-chuva e de sandália
Passar roupa

Nem é tanta coisa, vai? 🙂

*******************

Crédito da imagem: Quark Expedition